Juliano Wilton, ex-companheiro de Alan Cleber, trouxe à tona um problema envolvendo o cantor e artistas de Juazeiro. Em postagem no facebook, Juliano, expôs que foi usado como laranja para desviar recursos do Projeto Aldir Blanc, envidados para os artistas juazeirenses. O post expõe a Portaria nº 048/2020, publicada no Diário Oficial de Juazeiro, para um chamamento público de credenciamento para subsídio mensal às entidades artísticas e culturais que sofreram prejuízos financeiros durante a pandemia do novo Coronavírus. 


De acordo com a publicação, Juliano Wilton Nunes de Souza teria sido beneficiado em 15 de dezembro de 2020, período que Alan Cleber assumiu a Secretaria de Cultura, Turismo e Esporte de Juazeiro, na gestão do ex-prefeito Paulo Bonfim com o valor de R$ 3 mil. 

Um movimento de artistas do município já está se mobilizando para pedir uma auditoria no Conselho Municipal, para que os recursos sejam revistos e, se houver irregularidades, que os responsáveis sejam punidos e obrigados a devolver os recursos. 

Segundo a fonte, o embaraço ainda é maior porque usaram nomes de pessoas que nunca foram artistas em detrimento de nomes já consagrados no município, que há anos desenvolvem atividades artísticas e que notadamente foram atingidos financeiramente com a paralisação das funções na pandemia.

No edital disponibilizado à época, Juliano foi contemplado com a aprovação do Projeto em primeira colocação, assim como outros projetos, que, até então, não desenvolviam atividades culturais em Juazeiro. “O Instituto Múltiplo e Cidadania foi beneficiado na categoria Cultura Popular sem nunca ter feito Cultura. Quem conhece em Juazeiro? Nunca fez arte na vida”, pontua o artista. 
 




A mesma fonte, afirma que outros nomes conhecidos do entretenimento na cidade também foram beneficiados e não atendem as exigências da Lei Aldir Blanc. Segundo ele, alguns receberam o valor de R$ 30 mil. “Alan Cleber precisa responder à população se usou de má fé para se beneficiar de um recurso federal, enquanto ocupou um cargo público.”, acrescenta.

Mônia Ramos Jornalista Cartaz da cidade