Plantão
Esporte

CBF planeja retorno do público aos estádios nas quartas de final da Copa do Brasil

Publicado dia 21/07/2021 às 15h01min
CBF planeja retorno do público aos estádios nas quartas de final da Copa do Brasil

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) planeja o retorno do público aos estádios a partir das quartas de final da Copa do Brasil, no fim de agosto. A competição seria um teste da entidade, que busca apoio das federações estaduais. A informação foi revelada pelo ge.

A medida ocorre após a partida entre Flamengo e Defensa Y Justicia, da Argentina, ter autorização para receber 25% da carga das arquibancadas nesta quarta-feira (21). O duelo ocorre às 21h30, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pelas oitavas da Libertadores.

Antes, a Prefeitura do Rio de Janeiro tinha liberado público na final da Copa América entre Brasil x Argentina, em 10 de julho no Maracanã. Na ocasião foi permitida a presença de convidados.

Caso o projeto avance, a CBF deve divulgar detalhes sobre o protocolo sanitário exigido aos torcedores. As medidas devem incluir teste negativo para a Covid-19 e comprovante de vacinação.

PÚBLICO NO CEARÁ

Seguindo as recomendações do governo estadual, os jogos de futebol no Ceará ocorrem sem presença de público, apenas com membros da diretoria dos clubes envolvidos no confronto, staff e imprensa ocupando as arquibancadas.

A última partida com torcida no estádio cearense foi na 3ª fase da Copa do Brasil, quando o Ceará venceu o Vitória-BA por 1 a 0 na Arena Castelão. O duelo foi realizado no dia 12 de março de 2020.

 

Em coletiva recente, o técnico alvinegro Robinson de Castro revelou que, em ação conjunta com a diretoria do Fortaleza, havia interesse no Clássico-Rei da Série A, marcado para 1º de agosto, contar com público confirmado no estádio. A medida não teve apoio da Secretaria de Saúde (Sesa).

“Um grupo empresarial procurou Ceará e Fortaleza para organizar a possibilidade de público no Clássico-Rei com o público sendo os profissionais de saúde e a população já vacinada, com passaporte e banco de dados de todas as pessoas. Mas precisaria do Governo do Estado. Tentamos uma reunião na secretaria de saúde e não tivemos êxito”, declarou na ocasião.

Fonte: BLOG DO MARINHO